segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Halloween




A ideia surgiu de repente, 6ª feira à tarde, quando vi que o risonho trazia na mão uma bruxinha de cartolina, com uns quadrados de papel toscamente colados (mas muito elogiados), trabalho feito na escolinha para comemorar o Halloween. Propus-lhes decorarmos uma abóbora e a reacção foi explosiva: "SIM!!!".
Cortei o fundo, para que assentasse melhor e para podermos retirar o recheio, fiz os olhos e a boca (a sorrir "para não termos medo") e finalmente acendemos duas velas no interior.
Foi o delírio.
Não houve visita cá a casa que não fosse recebida de luzes apagadas e muitos gritos de alegria (que eles achavam assustadores, claro).
Senti-me um pouco a trair os meus princípios de que cada país deve festejar as épocas festivas (desculpem a redundância) de acordo com as suas tradições e não cair no lugar comum de repetir tudo o que se faz nos Estados Unidos.
É uma cultura que nos entra pela casa nos filmes, séries televisivas, desenhos animados e que por mais que tentemos controlar acabam por ser uma presença comum, quase diária.
O compromisso foi decorar a abóbora e não comprar um fato de bruxa (o que ela queria mesmo era um fato de borboleta para comemorar o dia das bruxas, não consegui perceber porquê) e comer castanhas e bolinhos de erva doce e noz.
Foi uma aglutinação sensata de culturas. Espero.

2 comentários:

Vermelho morango disse...

Este ano também fiz merendeiras (como se chama na região onde nasci) de batata, noz e erva doce mas as tuas estão com muito melhor aspecto. Foram feitas no forno de lenha?

Cristina Lopes disse...

Estas foram compradas no mercado.
Queria ter feito uma receita com miolo de castanhas que os meus filhos aprenderam o ano passado na escolinha(é boa porque eles também podem participar fazendo as bolinhas), mas a gestão de um novo bebé na família e o fim de semana fora de casa não permtiu.
Talvez para o dia de São Martinho...