quinta-feira, 21 de julho de 2011

Cozinhar, limpar, arrumar, cuidar

Com 3 crianças pequenas e sem apoio familiar perto, ficar em casa a cuidar da família pareceu-me a opção mais correcta. Pelo menos nesta fase inicial, em que eles ainda são muito dependentes. A decisão foi silenciosa, fui quase empurrada para isto. Não é fácil porque não é remunerado e não é admirado pela sociedade. Deixei de ser a Srª engenheira para ser mãe e mulher. Tento desenvolver a minha criatividade na "Oficina da Borboleta Maria", mas a situação está longe de ser a que eu desejaria em volume de trabalho e retorno financeiro. Resta-me a certeza, que muito me orgulha, de que estou a criar 3 seres humanos felizes, unidos e bem estruturados.
Espero que as mentalidades comecem a mudar. Espero que a sociedade comece a dar mais importância à família. Que olhe com mais respeito para quem se esforça por criar um ninho feliz, rico em afectos e valores.
Gostei muito de ler isto, espreitem.

3 comentários:

Virgínia disse...

as mentalidades vão começar a mudar quando nós mudarmos a nossa. quando dissermos o que fazemos com verdadeiro orgulho e felicidade os outros vão seguir. a remuneração no nosso trabalho é outra, mas existe - e é enorme. Um abraço*

Sara Grilo disse...

Eu estou do outro lado da barricada, e como sempre "a galinha da vizinha é sempre melhor que a minha"!!!
De facto nunca tive a coragem de mudar de vida... porque numa época de crise isso seria uma grande estupidez... é o que toda a gente pensa!!!
Mas na realidade não me sinto realizada no trabalho que faço e ultimamente ando muito desmotivada, embora esteja a trabalhar na minha área...
Se pensar nos seus colegas de curso, quantos são os que estão a trabalhar na área ou se sentem realizados?
E depois é aquela terrível rotina de chegar a casa de rastos, e não ter paciência ou um bocadinho de tempo para brincar com as filhotas...
Mas na verdade antes de ser mãe também não dava valor a quem deixa de trabalhar para se dedicar à família...
Sara

mãe de todos disse...

Eu tenho 3 e quem me dera poder ficar em casa com eles... Por estar desempregada estive uns bons meses e adorei, agora estou num "trabalho socialmente necessário" que acaba em Novembro ... despois não sei mas o sonho era conseguir uma actividade em casa que me desse o suficiente (só queria isso) para pagar as contas, o resto o amor, os risos, as alegrias dão-nos! Parabéns Sra Engenheira pela escolha!